Casei! Parte 3 - A Cerimônia Civil

Há duas semanas venho compartilhando com vocês um pouquinho do que foi o dia mais lindo da minha vida. Nos primeiros posts os temas foram "o making of dos noivos" e "detalhes da cerimônia". Fiquei super feliz quando vi que meu primeiro post foi parar no rol dos mais acessados aqui na barra lateral. Obrigada pelo apoio meninas! :)

Hoje o tema será "a cerimônia civil".

Como comentei no post passado, não consegui encontrar um pastor para celebrar meu casamento, então tive que correr atrás de um substituto à altura. Fiquei impressionada com a quantidade de perguntas que recebi a respeito do Dr. Humberto, então, pela última vez, vou falar sobre ele aqui para tentar sanar dúvidas que possam ter restado.

O Dr. Humberto foi recomendado pelo cartório por possuir o perfil que a gente procurava em um celebrante. Vejam bem, ele não é celebrante de casamentos por profissão, ele é professor e juiz da Vara de Infância de da Juventude de Recife que atualmente substitui um desembargador no Tribunal de Justiça. Como aqui em Recife não temos juízes de paz para celebrar casamentos nos cartórios, alguns juízes exercem esta função e celebram casamentos coletivos dentro dos fóruns. Quando alguma noiva solicita, ele vai até o local fazer a cerimônia civil, mas é um processo bem chatinho! Farei um post explicando melhor como funciona o casamento a domicílio qualquer dia desses...

O Cortejo


Meu cortejo seguiu a cultura dos casamentos de Brasília. Paulinho fez questão de entrar primeiro. Nós acreditamos que o cortejo é um ciclo que deve ser iniciado e finalizado pelos noivos, afinal de contas, eles é que são as estrelas do casamento. Quando o noivo entra primeiro ele tem a oportunidade única de cumprimentar o pai, a sogra e cada um dos padrinhos. E olha, vou dizer uma coisa pra vocês, isso é uma honra para o homem. Após o noivo, entraram meu sogro com minha mãe e nossos padrinhos.

Vocês lembram que fiz um post todo especial sobre o convite e os presentes dos meus padrinhos e das minhas damas adultas (quem não viu pode conferir aquiaqui e aqui)? Foi tentando preparar para este momento. Tive sete damas adultas: minha irmã, minha cunhada, prima e quatro amigas de infância. Infelizmente não saiu 100% do jeito que eu queria, que eram vestidos com a mesma cor ou tonalidade. Mas, pelo menos, as cores não destoaram tanto. Cada uma entrou com um botão de rosa, que simboliza a amizade. Minha irmã entrou por último com a plaquinha "Lá Vem a Noiva!"


Dica da noiva: Gente, hoje em dia está bastante em alta ter damas adultas ou demoiselles ou bridesmaids no casamento. Se você quiser padronizar a cor, minha sugestão é: compre o tecido e entregue para suas damas. Se você quiser que os vestidos sejam iguais: compre o tecido e avise para todas fazerem na mesma costureira. É bem mais prático e evita confusão!

A Chegada da Noiva 

Uma das preocupações da minha cerimonial, que tem acontecido bastante com as noivas, foi que eu chegasse cedo no Barrozo, esperasse um tempão no estacionamento, visse meus convidados chegando e acabasse ficando uma pilha de nervos (é, eu sou esse tipo de noiva!). Por isso combinamos de deixar o Transamérica somente quando eu recebesse o "ok" por whatsapp. Sou uma pessoa que adora whatsapp, uso bastante no dia a dia, mas nesse momento eu não curti tanto. Senti falta de um contato telefônico para tentar obter mais informações sobre o que estava acontecendo por lá... Quando estacionamos o carro o cortejo já havia começado, então ninguém nos deu atenção... Fiquei triste com isso porque me senti perdidinha. Foi assim com vocês também, casadinhas? Vamos trocar experiências! rs.


Num desses eventos de noiva da vida ganhei o sorteio de uma placa para o carro da noiva da Dream Car. Como resolvi ir no carro do meu pai, que veio de Brasília para o nosso casamento, decidi prestigiá-lo e manter a placa de lá.

Dica da noiva: Meninas, se vocês quiserem economizar, a dica que dou é que só aluguem o carro da noiva se realmente for necessário. Tentem antes com algum parente ou amigo, vejam se alguém tem um carro bacana para emprestar porque pode compensar bastante. Meu pai tem um carro muito bonito e isso me fez economizar, no mínimo, R$ 700,00 com o carro da noiva.

A Entrada da Noiva

Os minutos seguintes foram meio que um borrão. Lembro da cerimonial ajeitando meu véu, a calda do vestido, colocando o buquê na posição correta e me liberando pra ir.


Lembro também de ter tentado identificar a música da minha entrada que mais parecia grego pra mim. Eu não quis marcha nupcial, pedi uma música específica, Feels Like Home na versão da Chantal Kreviazuk, e fiquei triste porque quem estava cantando era um homem, numa versão bem lírica, nada a ver com o que eu tinha pedido. :(

Como naquele dia eu acordei determinada a não deixar nada me abalar, deixei a tristeza de lado e resolvi aproveitar o momento, sem neuras. Foi aí que percebi que conseguia ver todos os meus queridos convidados, meus amigos, minha família, meu noivo liiiiiiiindo, que abriu mão de tanta coisa por mim, que me ama tanto, me esperando ali no altar, para começarmos juntos uma fase deliciosa das nossas vidas. ♥


Geeente, vocês não têm noção da emoção que a noiva sente nessa hora. É surreal. Tem noiva que respira fundo, congela aquele sorrisão no rosto e segura até o final. Eu... eu me lembro de ter respirado fundo e dito "pai, eu vou chorar", e pronto, me entreguei totalmente às lágrimas e às emoções naquele momento.

As Alianças


A minha avó foi a responsável pelo início do meu namoro com meu marido. Tenho plena convicção que foram sua fé e orações que fizeram com que Deus resolvesse cruzar os nossos caminhos. Por isso, não tinha outra pessoa mais qualificada para entrar com nossas alianças. Como ela já é bem velhinha, tem 84 anos, minha prima e minha irmã a conduziram até o altar. Juro pra vocês, quem não chorou comigo na minha entrada, chorou comigo na entrada dela. Só pra vocês terem uma ideia, das 70 lágrimas de alegria que fiz acho que sobraram apenas umas 5... ♥

A Decoração da Cerimônia

A decoração do meu casamento foi feita por Júlio Baltar. A princípio era pra ter sido feita apenas com rosas em razão de uma promoção relâmpago que peguei no final de 2012, mas Júlio me surpreendeu trazendo uma variedade de flores e cores.

Para a cerimônia pedi uma decoração nas tradicionais cores branco e verde. Não ficou exatamente como eu tinha imaginado, mas o resultado foi bastante satisfatório.

Como na semana do casamento estava chovendo muuuuuuito, fui obrigada a contratar dois toldos com D. Eduarda. O preço é bem salgado, mas é um dos melhores da cidade. No final das contas, não choveu, graças ao bom Deus, mas ajudou a dar um 'tchan' na decoração porque permitiu o uso de muitos arranjos aéreos como lustres, voils e velas. A passarela espelhada de Leodenes foi a cereja do bolo. Deu um toque de sofisticação e glamour à decoração! Adorei.

Deixo vocês com algumas imagens fotografadas pela querida Dany Canel. Qualquer dúvida, estou a disposição de vocês!

Cerimônia e Recepção: Barrozo | Celebrante: Dr. Humberto | Cerimonial: Santas Casamenteiras (DF) | Vestido da Noiva: Vert et Rouge | Grinalda: Cyntya Verçosa| Brincos: Fátima Roque | Sapato: Dona Rosa | Cabelo e Maquiagem: Sandro Santos | Terno do Noivo: AG7 Henrique Arteiro | Decoração: Júlio Baltar | Welcome Drinks: BalacA Buffet de Líquidos | Porta Aliança: Mariage | Plaquinha Lá Vem a Noiva: Rebeka Fittipaldi | Música da Cerimônia: Orquestra Novo Tempo | Gerador: Geramais | Iluminação: Facury Luzcênica | Fotografia: Dany Canel | Filmagem: Studio 17


Bom noivinhas, é isso o que eu tinha para conversar com vocês sobre a minha cerimônia. Espero que tenha conseguido passar boas dicas e tenha conseguido deixá-las um pouquinho mais ansiosas para que o grande dia chegue logo. Quando a gente diz que é a realização de um sonho é a mais pura verdade e por isso não vale a pena se apegar a detalhes que não saíram exatamente como planejado. Carpe Diem!

Beijos e até a próxima!

6 comentários :

  1. Ju, tudo muito lindo!
    Parabéns!

    ahhh fiquei com uma dúvida: como assim cortejo na cultura dos casamentos de Brasília? Sou de Brasília e queria saber como são os outros! hahahah

    beijocas

    ResponderExcluir
  2. Julianna, fiquei encantada com seu relato!! Lindo,lindo! Senti sua emoção e o modo como você soube sobressair pequenos contratempos como se tivesse lá com vc:) Também fiquei interessada nesse tipo de cortejo, qual é o outro? Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Suelen Milanez24/03/2014 13:33

    Obrigada pelas dicaaas!
    Ameiii
    Tenho duvidas se ponho amigas da noiva :/
    e em relaçao ao carro também concordo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Julianna! Também vou casar no Barrozo, qual foi o horário de início da tua cerimônia? vi que no final já estava escuro... Também vou casar à tarde e queria que ao terminar ainda estivesse de dia... O Dr Luiz Humberto se prolonga muito ou é breve? Beijo!!

    ResponderExcluir
  5. Aiinn que lindo, Julianna! Só um pequeno detalhe, o nome do celebrante artístico pode ser Luiz Humberto, Mas é só Humberto Vasconcelos Jr. Bjos Jéssika Barros

    ResponderExcluir
  6. Juliana, parabéns pela cerimônia. Vou casar esse ano e Recife e estou a procura de um juiz que celebre casamento. Você poderia nos passar o contato do Humberto, por favor? Beijos

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe aqui seu comentário :)

Posts + Recentes

Últimos Comentários